ANA LUÍSA COSTA & FÁTIMA MENDES - Escola Superior de Educação de Setúbal

No Workshop «compreender e expressar o pensamento matemático», procurar-se-á refletir sobre atividades articuladas do domínio da língua e da matemática desenvolvidas em torno de livros infantis. Ainda que o ponto de partida sejam ideias didáticas sobre a especificidade da língua materna e da matemática no currículo da educação de infância, entende-se que apenas uma visão integradora do currículo responde plenamente aos percursos de aprendizagem das crianças.

Num primeiro momento, apresenta-se um trabalho de investigação didática ‘em sala’, com a análise de tarefas em torno de um livro infantil (picture book) a partir do qual se pretendeu desenvolver competências linguísticas e competências matemáticas. Destas aprendizagens articuladas, salientam-se capacidades metacognitivas que contribuem para o desenvolvimento do pensamento crítico. Em suma, através de tarefas com português e matemática, também se aprende a pensar. O contacto precoce com livros alimenta não só a emergência de literacias, mas também o desenvolvimento linguístico (Menyuk & Brisk, 2005). Por outro lado, diferentes autores têm reconhecido o contributo da literatura infantil para o desenvolvimento do pensamento matemático (Casey, Kersh & Young, 2004; Van den Heuvel-Panhuizen & Elia, 2012). A interpretação de uma história pode ser trabalhada em articulação com a exploração de ideias matemáticas. Porém, esta exploração deve ter em consideração que nem todos os livros contêm as mesmas potencialidades. Segundo Martson (2014), o conteúdo matemático de um livro infantil pode ser «percebido», «explícito» ou «incorporado». Nas tarefas didáticas propostas, defender-se-ão as qualidades de livros com conteúdo matemático incorporado, ou seja, de livros que, mantendo o propósito literário da fruição da linguagem e da leitura, integram propositadamente conceitos matemáticos. Finamente, num segundo momento do Workshop, os participantes serão convidados a explorar em diferentes livros estas potencialidades.

Referências

Casey, B.; Kersh. J. & Young. J. (2004). Storytelling sagas: An effective medium for teaching early childhood mathematics. Early Childhood Research Quarterly, 19, 167–172.

Marston, J. (2014). Identifying and using picture books with quality mathematical content. Australian Primary Mathematics Classroom, 19(1), 14-23.

Menyuk, P. & Brisk, M. E. (2005). Language development and education. Children with varying language experiences. New York: Palgrave. MacMillan.

Van den Heuvel-Panhuizen, M. & Elia, H. (2012). Developing a framework for the evaluation of picture books that support kindergartners’ learning of mathematics. Research in Mathematics Education, 14 (1), 17-47.

T