Como usar seis gráficos básicos para criar relatórios eficazes

A divulgação dos resultados do seu estudo com os colegas de trabalho, gerentes e clientes de forma profissional e fácil de entender é habilidade fundamental de qualquer pesquisador.

Vários estudos com resultados incríveis não são colocados em prática ou são esquecidos porque seus relatórios são confusos. Em um relatório, os gráficos são extremamente úteis para ilustrar as descobertas de forma clara e concisa.

O principal desafio do uso de gráficos é selecionar o tipo certo de uma ampla variedade de gráficos disponíveis. Muitas pessoas não entendem as vantagens e desvantagens de cada tipo de gráfico e decidem pelo visual ou preferem não arriscar e acabam sobrecarregando o relatório com gráficos de pizza ou de barras verticais. É importante os pesquisadores usarem o gráfico mais eficaz para exibir os resultados de seus dados. Este artigo analisará seis gráficos básicos e como implementá-los de forma bem-sucedida nos relatórios. Vamos começar!

Saiba como criar gráficos e tabelas de dados personalizados com os resultados da sua pesquisa.

1) Gráficos de barras verticais

Gráficos de barras verticais são ideais para comparar médias ou porcentagens entre dois e sete grupos diferentes. Como você pode ver, cada barra é separada por um espaço em branco. Por isso, o eixo x deve ser baseado em uma escala com categorias mutuamente exclusivas, como perguntas de múltipla escolha ou de caixa de seleção. Categorias baseadas em uma escala contínua são mais adequadas para histogramas. Veremos isso posteriormente. Quanto a este gráfico, os respondentes só podiam selecionar uma opção (diariamente, semanalmente, etc.), tornando sua análise cruzada com a satisfação, perfeita para um gráfico de barras verticais.

2) Gráficos de barras horizontais

O gráfico de barras horizontais é usado para comparar a média ou porcentagem de oito ou mais grupos diferentes. Assim como o gráfico de barras verticais, ele só deve ser usado para comparar categorias mutuamente exclusivas. Neste gráfico, mais de sete categorias de doces foram medidas de forma independente e estão sendo comparadas entre si.

3) Gráficos de pizza

Os gráficos de pizza são ótimos para ilustrar a divisão de uma amostra em uma única dimensão. Em outras palavras, é melhor usá-los para mostrar as diferenças dentro de grupos com base em uma variável. No exemplo acima, dividimos o mesmo grupo em diferentes grupos de idade para mostrar a relevância da idade na venda de algodão doce. É importante lembrar que os gráficos de pizza só devem ser usados com um grupo de categorias que, combinadas, formam um todo.

4) Gráficos de linhas

Os gráficos de linhas são usados para ilustrar tendências ao longo do tempo. Na maioria das vezes, eles servem para medir a progressão de longo prazo das vendas ou qualquer outra estatística empírica importante para as empresas ou organizações. Eles também podem ser usados para comparar duas diferentes variáveis ao longo do tempo. No nosso exemplo, vemos como o aumento no investimento do governo em um estilo de vida mais saudável está relacionado às vendas de doces em um período de cinco anos.

5) Diagrama de dispersão

Os diagramas de dispersão são usados para mostrar como diferentes objetos se estabilizam em torno de uma média com base em duas ou três diferentes dimensões. Eles possibilitam comparações rápidas e simples entre variáveis concorrentes. No nosso exemplo de gráfico acima, podemos ver uma comparação entre os doces com base no custo de produção e no preço de venda. Como visualizador, é possível rapidamente identificar a diferença entre os dois objetos ou sua relação com a média (quadrado maior no gráfico).

6) Histograma

Como os gráficos de pizza, os histogramas dividem a distribuição da amostra em uma dimensão. A diferença real entre histogramas e outros tipos de gráfico é que os histogramas são ideais para ilustrar distribuições da amostra em dimensões medidas em intervalos discretos. Ao contrário dos gráficos de barras verticais e horizontais, o eixo x não é dividido em categorias mutuamente exclusivas. No nosso exemplo, o histograma indica quantos respondentes se enquadram em cada intervalo de doces consumidos por semana. O eixo x é uma escala contínua, enquanto cada barra se enquadra em um intervalo de cinco unidades de doce nessa escala.

O poder dos gráficos

Saber como usar esses seis tipos de gráfico de maneira eficaz tornará seus relatórios profissionais e claros. Embora haja formatos de gráficos muito mais complexos para exibir resultados de dados, aqueles discutidos neste artigo são os mais comuns e universalmente conhecidos. Tipos mais complexos de gráfico podem confundir os visualizadores, em vez de impressioná-los. É por isso que muitas pessoas afirmam que aproveitar todo o potencial desses tipos de gráfico mais conhecidos vale muito mais a pena. Portanto, vá em frente! Teste esses gráficos e crie relatórios incríveis.

Veja como a SurveyMonkey pode incentivar sua curiosidade