Fazer loginInscrever-se
Resultados do blog
Mostrando 0 de 0 resultados
Mantenha a curiosidade! Você vai encontrar algo.
Relatos de clientes

Como a NaNoWriMo usa feedbacks para ajudar a inspirar escritores e escritoras a terminar uma obra literária em um só mês

Como a NaNoWriMo usa feedbacks para ajudar a inspirar escritores e escritoras a terminar uma obra literária em um só mês

Este post foi escrito com base em uma entrevista com Tim Kim, o diretor de programação da NaNoWriMo.

A NaNoWriMo é uma organização sem fins lucrativos famosa por seu desafio anual em que escritores do mundo todo trabalham para terminar uma obra literária inteira durante o mês de novembro. Até 2017, mais de 400.000 aspirantes a autor(a) entravam no concurso a cada ano, e os vencedores ou vencedoras, aquelas pessoas que conseguiram atingir a marca de 50.000 palavras escritas de uma obra literária em novembro, foram mencionadas na mídia em vários países. A NaNoWriMo também organiza programas para jovens escritores e escritoras, e convenções no mundo todo, além de facilitar a realização de outros eventos e concursos.

Mas “concurso” pode não ser a melhor palavra para descrever a experiência da NaNoWriMo, inclusive o desafio anual de novembro. Em vez disso, tanto a própria organização sem fins lucrativos quanto escritores e escritoras que interagem com ela provavelmente escolheriam a palavra “comunidade.” E é aí que entram as pesquisas.

A pequena equipe da NaNoWriMo está quase sempre planejando um evento de um mês para centenas de milhares de pessoas. Precisam tornar o desafio expansivo, envolvente e realmente benéfico para todas as pessoas que participam. Obviamente, é uma enorme pressão. Usam pesquisas para incluir participantes no processo de planejamento e garantir a eficácia dos programas. 

O feedback da pesquisa da NaNoWriMo não só abriu a possibilidade de oferecer uma experiência mais acolhedora para seus membros, mas também revelou alguns fatos bastante interessantes sobre a criatividade, a motivação e a disciplina humana. 

Eis a grande pergunta: o que é necessário para ajudar alguém a terminar uma obra literária em um mês?

A NaNoWriMo é incrivelmente dedicada a manter seus ciclos de feedback abertos, ao enviar pesquisas para participantes ao final de cada evento (e com taxas de resposta absolutamente impressionantes, diga-se de passagem).

Escrever 50.000 palavras em um mês pode satisfazer a definição de produtividade de qualquer pessoa. Para servir de contexto, a maioria das pessoas demora cerca de 3,5 horas para escrever 1.000 palavras, o que significa que escrever 50.000 palavras demoraria 175 horas, mais tempo do que um emprego em período integral. E isso sem contar esboços e brainstorming!

Como essas pessoas conseguem? A NaNoWriMo decidiu entrevistar os participantes mais bem-sucedidos para descobrir.

A primeira coisa que descobriram foi como aqueles primeiros dias do mês são realmente imprescindíveis. Inicialmente, a equipe da NaNoWriMo supunha que, durante os primeiros dias da competição, as pessoas estariam animadas e motivadas pela emoção de um novo projeto. A equipe decidiu que guardaria as notificações e outras mensagens para mais tarde no mês, quando participantes começassem a desanimar. Mas os resultados da pesquisa rapidamente lhes convenceram a mudar de plano.

As pessoas podem até estar mais animadas, mas o fato é que elas também precisam de incentivos nos primeiros três dias do mês, pois, de acordo com os dados, se elas chegarem no quarto ou quinto dia sem terem começado ainda, tendem muito mais a nem começar o desafio. Terminar um livro em 30 dias parece mais plausível do que terminar um livro em 25. Por isso, a NaNoWriMo começou a enviar mais mensagens mais cedo, incentivando as pessoas a começarem nos primeiros dias de novembro, o que aumentou as taxas de conclusão.

Então o que diferencia as pessoas vencedoras, aquelas que conseguiriam terminar uma obra em um mês? A pesquisa da NaNoWriMo descobriu três características comuns: planejamento, apoio da comunidade e ter uma ótima ideia. A equipe decidiu investir em programas e materiais que ajudassem nesses aspectos.

  • Planejamento: o preparo é um recurso poderoso, principalmente se você estiver tentando criar algo grande rapidamente. Ter bons alicerces ajuda a tornar uma história mais coerente. A NaNoWriMo criou vários materiais para ajudar escritores e escritoras a se preparar, tanto antes de novembro quanto durante os primeiros dias. Esses materiais incluem estratégias de esboço, dicas de brainstorming e um workshop abrangente com exercícios semanais que começam em setembro.
  • Apoio: muitos vencedores e muitas vencedoras do NaNoWriMo apontaram o apoio da comunidade como fonte do seu sucesso. Às vezes, isso era no sentido de família e amigos torcendo, mas às vezes era um grupo de escritores ou escritoras locais para fazer brainstorming ou condoerem-se uns dos outros. A comunidade oferece responsabilidade e apoio emocional, outro espaço onde a NaNoWriMo achou que poderia ajudar. A organização criou comunidades tanto online quanto presenciais para ajudar as pessoas a criar vínculos cruciais com outras pessoas, o que resulta tanto em apoio para escrever quanto em novas amizades importantes (que fofo!).
  • Ótima ideia: a última parte de uma boa história é realmente aquela sobre a qual a NaNoWriMo admite ter menos controle, mas que obviamente é essencial para uma grande obra: uma boa ideia. É claro que a NaNoWriMo não pode forçar inspiração sobre as cabeças de participantes, mas oferece exercícios de brainstorming e de preparação. 

Uma pergunta ainda maior: como escrever (ou até mesmo começar a escrever) uma obra literária muda a experiência humana?

Apesar de todas as pesquisas sobre o que é necessário para terminar uma obra literária, a quantidade de pessoas que terminam os desafios da NaNoWriMo não é a melhor métrica de sucesso. Sua melhor métrica de sucesso na verdade vem das pesquisas, especificamente de perguntas sobre o impacto que a experiência teve sobre cada pessoa.

A missão da organização é: “A NaNoWriMo acredita no poder transformador da criatividade. Nós fornecemos estrutura, comunidade e incentivo para ajudar as pessoas a encontrar suas vozes, alcançar seus objetivos de criação e construir novos mundos, dentro e fora das páginas”.

A melhor maneira de saber se elas estão alcançando esses objetivos é perguntar. Felizmente, o feedback que receberam foi amplamente afirmativo.

As perguntas que a NaNoWriMo faz variam com base no evento/programa, mas geralmente incluem perguntas como: de que forma essa experiência afetou sua confiança como escritor(a)? Como ela afetou sua confiança em geral? Você se sentiu inspirado(a)? Mais criativo(a)?

Quando enviaram uma pesquisa como essa depois do grande desafio de novembro, descobriram algo interessante: os efeitos positivos do programa começaram a surgir muito antes da marca de 50.000 palavras. As respostas das pessoas que tinham escrito apenas 10.000 palavras refletiram os mesmos resultados positivos que as das pessoas que concluíram o desafio. As pessoas não precisam escrever uma obra inteira para se inspirarem e se sentirem confiantes e em contato com sua comunidade. Elas só precisam sentir que alcançaram algo significativo.

Essa descoberta mudou a maneira como a NaNoWriMo pensa em seus objetivos. Perceberam que, se conseguissem apenas fazer as pessoas chegarem à marca de 10.000, teriam cumprido a missão da organização. Entenderam que, para muitas pessoas, 10.000 palavras parece um objetivo mais realista, removendo uma possível barreira. Novamente, mudaram sua mensagem e abordagem para refletir esse novo insight.

A NaNoWriMo também começou a fazer pesquisas sobre a criatividade em si. Existem diferenças entre as pessoas que focam amplamente em planejar as coisas com bastante antecipação e as que escrevem enquanto fluem as ideias? E as pessoas que escrevem devagar quase parando e as que procrastinam até o final? Continuarão a evoluir o currículo e as ofertas com base no que suas pesquisas renderem.

A NaNoWriMo conversa constantemente com participantes sobre o que querem, de que precisam e de que gostam, e o mundo é mais inclusivo e criativo por isso.