Fazer loginInscrever-se
Resultados do blog
Mostrando 0 de 0 resultados
Mantenha a curiosidade! Você vai encontrar algo.
Dicas de questionários

Preparar… apontar… revisar! Três áreas para conferir antes de enviar sua pesquisa

Preparar… apontar… revisar! Três áreas para conferir antes de enviar sua pesquisa

Pare o que está fazendo!

Antes de entregar o questionário, dê uma última olhada nele. Lembre-se de que a experiência dos respondentes, a qualidade do feedback deles e a reputação da sua empresa estão todas em jogo.

Para não deixar passar um erro crucial, considere estes itens antes de enviar sua pesquisa:

1. Facilite a pesquisa para seus respondentes

Os respondentes têm compromissos diários que demandam tempo e atenção, e a sua pesquisa não é um deles. Para tornar a experiência dos respondentes mais simples e agradável, remova o que for desnecessário. Você também se beneficiará, pois pesquisas menores melhoram a qualidade e a quantidade das respostas recebidas.

Veja algumas dicas práticas para reduzir cada componente da sua pesquisa:

Número de perguntas: infelizmente não é possível fazer uma recomendação genérica, como "Faça de oito a dez perguntas para otimizar a taxa de resposta da sua pesquisa". Cada pesquisa tem suas particularidades, seja seu público, o relacionamento dos respondentes com o assunto ou o tempo e esforço necessários para responder a cada pergunta.

Analise o valor de cada pergunta. Há relação direta entre ela e as outras perguntas? Ela está alinhada ao tema geral da pesquisa? Tem potencial para instigar feedback importante? Caso a resposta a qualquer uma dessas perguntas seja “não”, pode valer a pena removê-la.

Tipos de pergunta: há certos formatos de perguntas que exigem mais tempo dos respondentes. Por exemplo, respostas livres e perguntas de matriz são relativamente mais demoradas de se responder quando comparadas a perguntas de múltipla escolha.

Com isso em mente, tente usar ao máximo perguntas do tipo múltipla escolha, classificação por estrelas, caixa de seleção, barra deslizante ou menu suspenso. Caso haja realmente necessidade de usar questões do tipo aberta, de classificação e matriz, estas podem ficar para o fim.

Opções de resposta: há um equilíbrio delicado entre garantir que haja opções de resposta suficientes e exagerar no número de escolhas. Em geral, nossa equipe de especialistas em metodologia de pesquisa recomenda que, em caso de dúvida, é melhor usar menos opções e adicionar uma opção “Outro (especifique)” para atender aos respondentes que não considerarem as opções oferecidas relevantes.

Uma opção “Não sei” também pode ser usada, mas com cuidado: ela pode fazer com que os respondentes usem essa opção só por comodidade, mesmo que de fato “saibam”.

2. Verifique o fluxo das perguntas

A lógica de ramificação (que determina qual pergunta ou página vai ser exibida com base na resposta da pergunta atual) permite personalizar o questionário entre grupos de respondentes. Além de melhorar a experiência dos respondentes e aumentar a taxa de resposta, ela também proporciona respostas mais específicas e perspicazes e elimina possíveis vieses.

No entanto, se for usada de maneira inadequada ou desnecessária, a lógica de ramificação pode ser prejudicial.

Seu uso de maneira ineficaz resulta em perguntas irrelevantes e confusas. Por exemplo, vamos imaginar que sua pesquisa tenha a seguinte pergunta:

“Você joga videogame?”

Se a resposta for negativa, mas sua lógica de ramificação encaminhá-lo para a pergunta “De qual videogame você mais gosta?”, o respondente pode ficar frustrado e abandonar a pesquisa ou, ainda pior, responder de forma não sincera.

Por outro lado, ao não usar a lógica de ramificação você pode perder uma boa oportunidades de follow-up. Se o respondente não joga videogame, pergunte o por quê, e o que o convenceria a começar a jogar. As respostas podem ser surpreendentes.

Para usar a lógica de ramificação de maneira eficaz, identifique suas perguntas mais gerais. Para cada opção de resposta dessas perguntas, pergunte-se: “Quais perguntas de follow-up fazem mais sentido?” É o jeito mais garantido de confirmar (e reconfirmar) que sua pesquisa está redonda.

3. Obtenha feedback do gênio

Você está tendo problema para encontrar alguém para revisar sua pesquisa? Seria útil se você pudesse receber orientações de um guru de pesquisas?

Que tal um gênio? Agora, com apenas um clique, você pode receber feedback personalizado usando nosso novo recurso, o SurveyMonkey Genius.

SurveyMonkey-Genius-example_pt-BR

Além de fornecer feedback prático, o SurveyMonkey Genius estima o tempo e a taxa de resposta da pesquisa, dando uma ideia da quantidade de respostas que você receberá e da experiência dos respondentes com a pesquisa.

Agora que você parou para revisar o que fez, dê outra olhada no seu questionário. Você consegue encontrar algum texto que deva ser removido? Onde você pode usar a lógica de ramificação de maneira mais eficaz? O que o SurveyMonkey Genius tem a dizer? Não finalize suas perguntas antes de saber essas respostas!