Pesquisa descritiva: como definir os respondentes e tirar conclusões

O que é pesquisa descritiva?

Ao contrário da pesquisa exploratória, a pesquisa descritiva é conclusiva por natureza, ou seja, obtém informações quantificáveis que podem ser usadas para fazer deduções estatísticas sobre seu público-alvo por meio de análise de dados. Consequentemente, esse tipo de pesquisa usa perguntas fechadas, que limitam sua capacidade de fornecer insights exclusivos. No entanto, se usada de forma adequada, a pesquisa descritiva pode ajudar uma organização a definir melhor e medir a relevância de algo relacionado a um grupo de respondentes e à população que ele representa.

Em pesquisas online, a pesquisa descritiva é a mais usada. As organizações frequentemente a usam para revelar e medir a força da opinião, atitude ou comportamento de um grupo-alvo com relação a um assunto específico. No entanto, ela também é usada frequentemente para pesquisar as características demográficas de um grupo (idade, renda, estado civil, gênero, etc.). Essas informações podem ser estudadas como são, medindo as tendências com o tempo, ou usadas em uma análise de dados mais avançada, como para estabelecer correlações, segmentação, comparação a referências e outras técnicas estatísticas.

Como usar a pesquisa descritiva de maneira eficaz?

O segredo ao realizar qualquer tipo de pesquisa é obter apenas informações importantes. No caso de pesquisas online, os dados coletados devem possibilitar providências com relação a um problema ou oportunidade na sua organização. Por isso, é essencial criar objetivos para a pesquisa antes de elaborá-la. Os objetivos da pesquisa identificam exatamente o que você está tentando descobrir para tomar decisões embasadas com relação aos problemas enfrentados por sua organização. Por exemplo, vamos imaginar que um site quer coletar feedback dos visitantes. Os objetivos da pesquisa podem ser divididos com base em diferentes aspectos do site, como navegação, qualidade das informações e estética. Com objetivos de pesquisas bem-definidos, é possível criar um questionário que forneça insights relevantes que proporcionem um direcionamento claro com relação à ação.

O próximo passo para criar uma pesquisa descritiva eficaz é garantir a precisão dos resultados. Para isso, limite vieses e erros no design e no método da pesquisa. É impossível evitar erros usando amostras. Por isso, controle a margem de erro e os níveis de confiança obtendo uma amostra de tamanho adequado.

Precisa de um público para realizar sua pesquisa descritiva? Veja como o SurveyMonkey Audience pode ajudar a reunir o conjunto certo de contatos para a pesquisa.

Três exemplos de como a pesquisa descritiva pode ajudar sua organização

O uso de pesquisa descritiva pelas organizações é praticamente ilimitado. Já sabemos que é fundamental traçar objetivos de pesquisa antes de começar a elaborá-la. Mas como sabemos se o plano de pesquisa fornecerá informações úteis? Para entender o que está envolvido nesses objetivos, vejamos os três principais usos de pesquisa descritiva pelas organizações:

1. Definir uma característica dos seus respondentes:

As perguntas fechadas visam definir melhor uma característica ou comportamento dos respondentes, como faixa etária ou tempo gasto na internet por semana. Elas também podem ser usadas para descobrir as opiniões ou atitudes dos respondentes, como o nível de satisfação deles com um produto ou de apoio a uma plataforma política.

Em essência, todas essas informações podem ser usadas pelas organizações para tomar melhores decisões. Por exemplo, uma loja de varejo descobre que a maioria de seus clientes pesquisa online antes de ir à loja e consegue concentrar melhor sua equipe de publicidade com base nessa informação.

2. Medir tendências dos dados:

Com as funções estatísticas da pesquisa descritiva, as organizações podem monitorar tendências com o tempo. Considere uma pesquisa na qual os clientes devem avaliar sua satisfação com o hotel em uma escala de 0 a 10. O valor resultante é, por si só, basicamente arbitrário. O que significa uma média de 8.3? No entanto, se a gerência do hotel fizer mudanças para atender melhor às necessidades dos clientes, pode realizar a mesma pesquisa novamente para ver se a classificação média aumentou ou diminuiu. Com isso, o hotel consegue medir seu progresso na satisfação do cliente com o tempo e os efeitos de novas iniciativas e processos.

3. Comparar grupos e questões abordadas:

As organizações também usam pesquisas descritivas para comparar diferentes grupos de respondentes. Por exemplo, uma marca de shampoo cria uma pesquisa com várias perguntas para o público geral medindo suas atitudes com relação aos produtos, à publicidade e à imagem da empresa. A mesma pesquisa contém perguntas demográficas, como idade, gênero, renda, etc.

Com isso, a empresa pode analisar os dados comparando diferentes grupos de pessoas e suas atitudes. Por exemplo, a empresa pode identificar estatisticamente a diferença de opinião entre gêneros e faixas etárias. Ela pode descobrir, por exemplo, que homens jovens têm uma opinião estatisticamente desfavorável da imagem da empresa. Consequentemente, a empresa pode criar uma linha de produtos voltada para esse perfil demográfico.

Se os objetivos da sua pesquisa se encaixam em uma dessas três categorias, você está no caminho certo. Agora, basta decidir como os dados coletados ajudarão sua organização a agir com relação a um problema ou oportunidade. Lembre-se de que realizar uma pesquisa bem-sucedida é apenas parte do processo. A maneira como você usa as informações é o que torna seu projeto de pesquisa útil.

Veja como a SurveyMonkey pode incentivar sua curiosidade