Como realizar um estudo longitudinal: Como acompanhar seu desempenho ao longo do tempo

tendênciasUm questionário é como uma captura de tela. Por um questionário, é possível tirar conclusões apenas de um único momento, lugar e grupo de pessoas. Normalmente, isso basta.

No entanto, pode haver ocasiões em que você queira entender como as pessoas pesquisadas estão mudando. Nesse caso, um único questionário (ou captura de tela) não é suficiente. Portanto, precisamos repeti-lo para acompanhar e entender as tendências com o passar do tempo.

Há duas formas de descobrir como as pessoas estão mudando. A primeira é comparar com referenciais, ou seja, você faz a mesma pergunta a diferentes grupos de pessoas ao longo do tempo para ver como as opiniões mudam. A segunda é o foco deste artigo: uma pesquisa longitudinal.

Ao realizar um estudo ou pesquisa longitudinal, você segue o mesmo grupo de respondentes por um período, como semanas, meses ou até mesmo anos.

É diferente de uma pesquisa transversal (na qual cada respondente responde ao questionário somente uma vez, embora você possa fazer a pesquisa várias vezes para coletar dados de referenciais). (Esse é seu questionário de captura de tela.)

No entanto, por que seria interessante realizar um estudo longitudinal? Talvez você queira monitorar as mudanças dos seus respondentes ao longo da vida deles a fim de tirar conclusões sobre um grupo de respondentes (extremamente consistente).

Como a repetição de questionários ajuda a tomar decisões mais inteligentes

Se estruturar um estudo que dure décadas pareça algo improvável, já que até você pode ter saído do mercado, repetir questionários e acompanhar mudanças nas atitudes e nos comportamentos dos respondentes ao longo do tempo pode ser de grande vantagem. (Aliás, entrevistar as mesmas pessoas várias vezes também se chama pesquisa de painel.)

Por exemplo, você é um profissional de marketing online e quer saber como seus leitores reagirão a um novo design de boletim informativo por email.

Em vez de simplesmente enviar aos seus leitores um questionário depois de ter mudado o design, envie-os um questionário perguntando o que eles gostam (e não gostam) no design atual (isto é, crie um teste de conceito). Você pode inclusive usar o feedback deles para informar seu mais novo design.

Depois de enviar o boletim informativo recém-renovado, envie-os um questionário de acompanhamento. Como você está entrevistando as mesmas pessoas, pode comparar as atitudes e opiniões perante o primeiro design com as do segundo design. As pequenas mudanças serão estatisticamente relevantes. Se você decidir fazer duas pesquisas transversais com diferentes grupos de pessoas, será necessário ter uma mudança maior a fim de observar uma diferença significativa.

Se você fizer outras mudanças no design com base no feedback dos seus leitores, poderá continuar refinando o design com o tempo para garantir que o nível de satisfação não seja menor que os níveis iniciais relacionados ao primeiro design.

Uma alternativa à pesquisa de painel longitudinal

A repetição de questionários com o mesmo painel funciona bem ao acompanhar mudanças nas atitudes e nos comportamentos dos respondentes. No entanto, nem sempre é possível entrevistar exatamente as mesmas pessoas sempre.

Nesse caso, mesmo se você enviar seu boletim informativo para as mesmas pessoas, talvez não seja possível captar as mesmas opiniões. As pessoas podem cancelar o recebimento do seu boletim informativo e novos leitores podem surgir.

Nesse caso, faça uma pesquisa de painel rotativo. Para isso, basta trocar de forma gradativa parte da sua amostra inicial da pesquisa de painel por novos leitores. (Nesse caso, você pode acompanhar facilmente quem, da sua lista de emails, está respondendo aos questionários.)

Dessa forma, seu questionário dará uma boa estimativa das opiniões de todo o seu público, antigo ou novo, captando também as mudanças de opiniões do mesmo grupo de pessoas.

Três dicas para criar questionários para um estudo longitudinal

Não se esqueça destes três pontos importantes ao criar seu estudo longitudinal:

1. É melhor manter as perguntas idênticas em todos os questionários. Pesquisas mostram que mudar o formato de uma pergunta pode resultar em respostas bem diferentes, mesmo sendo das mesmas pessoas. Portanto, para analisar as tendências com extrema precisão, é necessário fazer as mesmas perguntas em todos os questionários repetidos.

2. Ao planejar uma pesquisa de painel, lembre-se de que nem todas as pessoas que responderam ao primeiro questionário responderão ao segundo. Portanto, se você quiser realizar uma pesquisa de painel na qual entrevista o mesmo grupo de pessoas três vezes com pelo menos mil respondentes no terceiro questionário, será necessário entrevistar mais de mil respondentes no primeiro questionário para compensar as pessoas que provavelmente não responderão ao segundo ou terceiro.

3. É necessário decidir com qual frequência você quer realizar seu questionário. Se você fizer questionários com muita frequência, poderá perder recursos e tempo, já que o tempo entre um e outro pode não ser suficiente para que haja alguma mudança. No entanto, se você fizer questionários com pouca frequência, mais pessoas poderão desistir da sua pesquisa de painel, pois se cansam de muitos questionários, ou seja, você terá menos respondentes nos últimos questionários.

Se você parar para pensar, as aplicações de um estudo longitudinal são infinitas. É possível ver se seu novo anúncio influenciou as pessoas que compraram seu produto ou acompanhar as compras de produtos para ver se os clientes gostaram deles.

Mesmo que um conjunto de dados possa esclarecer uma única ocorrência, o contexto resultante da repetição de questionários ao longo do tempo ajuda a tomar decisões informadas e a fazer melhorias.

mingnanlAutoria de Mingnan Liu, Especialista em Pesquisas, SurveyMonkey.