Como usar pesquisas quantitativas com eficiência

Como identificar métodos quantitativos e coletar dados.

QuantData_LowResPesquisas quantitativas permitem extrapolar os resultados de uma amostra para um grupo maior de pessoas. Elas são, ao mesmo tempo, estruturadas e estatísticas, possibilitando que você tire conclusões e tome decisões sobre a melhor ação a tomar.

Geralmente, as pesquisas quantitativas são usadas para comprovar ou desmentir uma hipótese predeterminada, que você pode ter elaborado na pesquisa qualitativa.

Perguntas quantitativas formam grande parte da maioria dos questionários, mas costumam ser empregadas de maneira ineficiente. Ao criar uma pergunta quantitativa, lembre-se que ela deve alcançar os três objetivos a seguir:

1. Definir as características dos seus respondentes: Todas as perguntas fechadas têm como objetivo definir as características dos respondentes com mais precisão. Elas podem ser usadas para obter informações sobre:

  • Uma característica: Identificar a idade, o sexo, a raça, a renda etc.
  • Um comportamento: Identificar hábitos dos respondentes, como horas passadas na internet semanalmente, tipos de transporte usados, rotina de exercícios etc.
  • Uma opinião ou atitude: Identificar opiniões dos respondentes, como o nível de satisfação de alguém em relação a um político que elegeu ou um produto que adquiriu.

Conhecer estas características ajuda você a entender quem são seus respondentes, como agem, do que gostam e quais são suas expectativas.

Guia eletrônico gratuito de elaboração de questionário Acesse as dicas de nossos especialistas sobre como elaborar ótimos questionários que darão resultados confiáveis.

Baixe o guia →

2. Como avaliar tendências em seus dados: Fazer a mesma pesquisa diversas vezes ajuda a identificar tendências nos dados. Talvez as opiniões estejam mudando gradualmente ou você reconheça padrões sazonais.  Observar tendências ao longo do tempo ajuda a contextualizar os resultados dos seus questionários.

Se você, por exemplo, pediu que seus clientes classificassem a satisfação com o atendimento ao cliente em uma escala de “muito satisfeito” a “muito insatisfeito” e 20% disseram “muito satisfeito”. É bom conhecer seu atual posicionamento, mas este número também pode ser usado para medir seu progresso no futuro.

Digamos que, depois do primeiro questionário, você fez algumas mudanças para atender melhor às necessidades dos clientes. Agora, você pode aplicar este questionário novamente e observar se a porcentagem de clientes que marcaram “muito satisfeito” aumentou ou diminuiu. Com isso, você pode avaliar com eficiência o seu progresso em relação à satisfação dos clientes, bem como medir, diretamente, os efeitos dos novos processos e iniciativas que você implementou no intervalo entre os questionários.

3. Como comparar grupos: As questões também podem ser usadas para comparar grupos de respondentes.

Vamos retomar o exemplo acima. Ao adicionar perguntas demográficas, como sobre a idade, o sexo e a renda dos seus respondentes, você pode comparar informações como se jovens do sexo masculino estão mais satisfeitos com o serviço do que mulheres mais velhas.

Comparando grupos diferentes, é possível identificar seu público-alvo, descobrir como atingi-lo e decidir quando mudar seu produto para adaptá-lo a um mercado em especial. Também é possível comparar a porcentagem dos seus clientes que estão satisfeitos a um referencial para conhecer seu posicionamento em relação aos seus concorrentes.

Outras utilidades das pesquisas quantitativas

Além dos questionários, as pesquisas quantitativas servem para muito mais. Veja alguns exemplos de como:

1. Avaliar dados concretos: É muito provável que você obtenha dados que podem ajudá-lo a tomar decisões de fundo quantitativo, todos os dias. Podem ser informações como a duração do acesso de um cliente ao seu site ou os períodos de pico das vendas. Estas informações concretas, atualmente conhecidas como “big data”, podem ser tão úteis para direcionar suas decisões quanto fazer um questionário.

Informações deste tipo podem dizer muito sobre o que as pessoas fazem, mas lembre-se que raramente dizem por que elas agem de determinada maneira. Para isso, você precisa de pesquisas qualitativas e quantitativas mais diretas.

2. Estudo de caso: O estudo de caso observa o que acontece quando algo novo é introduzido a um ambiente para identificar uma relação de causa e efeito e tentar entender os motivos um pouco melhor. Este novo elemento pode ser qualquer coisa, desde a avaliação dos efeitos de um comercial nas vendas ou do impacto de festas de confraternização no clima organizacional de uma empresa.

Se você pretende, por exemplo, mudar a embalagem de um dos seus produtos, precisa conhecer o seu impacto potencial sobre as vendas. Você pode lançar a nova embalagem em apenas algumas lojas e comparar as vendas com a antiga embalagem. O estudo de caso é o conceito que originou o teste A/B.

Agora que você já tem as ferramentas para começar com o pé direito, lembre-se de incluir alguns recursos de pesquisa qualitativa primeiro. Para saber mais sobre como usar ambos na elaboração da sua pesquisa, leia este artigo.

Este artigo faz parte do projeto Introdução aos Questionários da SurveyMonkey. Queremos ajudar mais pessoas a criar questionários inteligentes. Saiba mais sobre este projeto e o nosso envolvimento na área de pesquisa.