Tipos de entrevistas em pesquisa: quais são, como usá-los e muito mais

Você sabe quais são os tipos de entrevistas mais comuns em pesquisas comerciais? Nós temos as respostas.

Os departamentos de RH, marketing e desenvolvimento de uma empresa estão sempre fazendo pesquisas das mais variadas: pesquisas de funcionários, pesquisa de satisfação com o trabalho, pesquisas com novos talentos, pesquisas de satisfação do cliente, pesquisas de mercado… 

A lista é imensa, mas tem um problema: pesquisas demais geram dados demais e, embora a pesquisa quantitativa seja um excelente recurso para compilar informações concretas ― como números, percentuais e estimativas ―, há alguns insights que só podem ser obtidos quando olhamos para o que está por trás dos números e de respostas diretas como “sim” e “não”.

É aí que entra a pesquisa qualitativa, um método de coleta e avaliação de dados que tem o objetivo de capturar toda a complexidade e as motivações que levam colaboradores, clientes ou possíveis colaboradores a responder “sim” ou “não”.

Em outras palavras, enquanto a pesquisa quantitativa trabalha com questionários do tipo “concordo/discordo” ou múltipla escolha, nos quais a pessoa precisa apenas assinalar a opção mais adequada, a pesquisa qualitativa busca respostas mais amplas, em que a pessoa tem liberdade para expressar as suas opiniões com as próprias palavras.

Nessa hora, entram no jogo as entrevistas. Com elas, a gestão de RH, as equipes de marketing e a área técnica de desenvolvimento de produto podem coletar feedbacks valiosos e aprofundados. Mas… o que são entrevistas? Quais são os tipos de entrevistas mais comuns em pesquisa? Como definir o melhor tipo de entrevista para a pesquisa que você quer fazer?

Nós compilamos todas as respostas sobre tipos de entrevistas aqui neste artigo.

Antes de falarmos sobre os tipos de entrevistas que podem ser usados em uma pesquisa, vamos definir brevemente o que é uma entrevista: uma dinâmica que acontece presencialmente ou online, de forma síncrona ou assíncrona. A entrevista também conta com dois participantes, o entrevistador e o entrevistado.

Ainda que as entrevistas sejam ferramentas excelentes para conduzir pesquisas qualitativas, é sempre bom lembrar que não adianta só saber fazer boas perguntas de pesquisa e lançá-las para as pessoas participantes. Para realmente garantir bons resultados, identifique qual é o tipo de entrevista mais adequado à pesquisa.

Vejamos, então, os três tipos de entrevistas mais usados.

A entrevista estruturada é a forma mais tradicional dos tipos de entrevistas, e também a mais simples de ser criada. Nela, a equipe responsável pela pesquisa elabora um roteiro de perguntas para ser usado em todas as entrevistas. Esse roteiro pode se basear em um questionário já usado internamente ou em pesquisas anteriores.

Essa modalidade de entrevista é ideal para empresas que querem trabalhar com pesquisas mais rápidas sem precisar arriscar a qualidade da coleta de dados, já que o roteiro ajuda a otimizar o tempo total entre perguntas e respostas. Além disso, você pode pré-determinar o peso das respostas para então fazer uma triagem dos dados coletados.

Se você tiver um orçamento mais folgado e mais recursos disponíveis para a pesquisa, pode ser uma boa ideia considerar entrevistas não estruturadas ― um dos tipos de entrevistas mais usados na hora tratar de assuntos delicados, como coletar feedback de clientes e colaboradores, avaliar o serviço de atendimento ao cliente ou fazer um rebranding.

Nesse tipo de entrevista, não há um roteiro fechado de perguntas, o que dá mais liberdade ao entrevistador, à pessoa entrevistada e, claro, à equipe responsável pela pesquisa. No entanto, a entrevista não estruturada pode gerar um trabalho mais demorado em termos de processamento de dados.

Por não trabalhar com um roteiro fechado, o entrevistador precisa orientar a conversa em torno de tópicos abertos ou áreas mais gerais de interesse, bem como saber onde e como definir limites para que o entrevistado não acabe falando de tópicos que não são do interesse da pesquisa.

Não podemos esquecer a entrevista semiestruturada, que atualmente é um dos tipos de entrevistas mais usados no mercado.

A semiestruturada é uma mistura dos dois tipos vistos acima. Isso significa que ela usa um roteiro pré-definido de perguntas, mas também prevê momentos de perguntas mais livres por parte de quem entrevista. Dessa forma, há mais liberdade para conversar sobre tópicos que não estavam no roteiro, mas que podem surgir nas respostas da pessoa entrevistada.

Tipos de entrevistasVantagemDesvantagem
Entrevista estruturadaMais fácil de controlar em termos de resultados e tempo gastoO entrevistador tem menos autonomia, e há menos espaço para interações mais orgânicas
Entrevista não estruturadaMais autonomia para o entrevistador e mais liberdade para o entrevistadoProcessamento dos resultados pode ser mais demorado e complexo
Entrevista semiestruturadaTraz um roteiro fechado, mas também dá espaço para perguntas mais livresRequer um entrevistador com excelente treinamento

As entrevistas podem auxiliar (e muito) a realização de pesquisas dentro de uma empresa. Por isso, conheça os tipos de entrevistas disponíveis para saber como identificar qual será o mais adequado para o seu projeto.

A SurveyMonkey pode ajudar ao longo de todo o processo com vários modelos de pesquisa e feedback, como o modelo de pesquisa de satisfação com o recrutamento e os modelos de feed back para funcionários, que podem ser facilmente adaptados a pesquisas com entrevistas. Além disso, também temos vários materiais de ajuda, como um guia sobre pesquisas de Recursos Humanos e funcionários.

Quais são os tipos de entrevistas mais comuns?

Existem três tipos de entrevistas amplamente utilizados por empresas de setores variados: a entrevista estruturada, a entrevista não estruturada e a entrevista semiestruturada.

Como determinar qual o melhor tipo de entrevista para minha pesquisa?

Tudo vai depender do tipo de pesquisa que você está conduzindo, do seu orçamento e dos resultados que pretende atingir. Uma pesquisa para coletar feedback de colaboradores, por exemplo, pode se beneficiar do molde não estruturado, pois assim eles terão mais liberdade para expressar as suas opiniões e sentimentos. Já uma pesquisa de mercado para testar um novo produto pode muito bem ser conduzida dentro do formato estruturado.

Como a entrevista pode auxiliar na realização de uma pesquisa?

A entrevista pode ser uma ferramenta muito importante em uma pesquisa qualitativa, pois ajuda a coletar dados e informações mais subjetivas e complexas. Por se tratar de uma conversa que acontece diretamente entre o entrevistador e a pessoa entrevistada, a entrevista permite um espaço em que a pessoa pode se expressar com as próprias palavras, e isso pode incentivá-la a revelar coisas que ela talvez não revelasse em uma pesquisa de caráter quantitativo.

 Você também poderá gostar de:

Tudo pronto para você receber feedback sobre seu evento?